Divergência

directory 1161965 1920

Lidar com a divergência requer humildade para reconhecer que em nada somos absolutos! Há outros pontos de vistas, outras possibilidades, outros posicionamentos, que embora diferentes dos meus, podem ampliar minhas reflexões, contrapor meus argumentos, me ajudar a refletir. E, mesmo que eu venha a reforçar minhas posições, após refletir sobre as contribuições do outro, isso não implica em amar menos, com menos consideração e carinho, a pessoa que de mim diverge. Sou fundamentalmente a favor da liberdade de pensamento e expressão e isso implica em praticar um profundo respeito pelas pessoas, independentemente de nossas discordâncias.

Christina Rocha

{jssocials}

0
0
0
s2sdefault

Eterno

autumn 2887556 1920

A eternidade é feita de nossos “agoras” vividos.  Um agora bem vivido pode ser singelo, mas repleto de autenticidade, bondade, sinceridade... pequenos gestos de solicitude, uma palavra amável, uma escuta atenta, atenção às pequenas coisas cotidianas, que são essencialmente muito preciosas. Uma vida marcada de eternidade, não precisa de um grande evento ou acontecimento. As coisas cotidianas podem ser muito especiais, mesmo que singelas, se prestamos atenção e somos gratos por estarmos presentes em nossa própria existência.  Nem presos ao passado, nostálgicos pelo que foi, ou o que poderia ter sido, nem condicionados a espera do que ainda poderá ser. Eternidade se constitui aqui e agora. Não se deve viver de “e se”.  No mais, como diz Rubem Alves, “Aquilo que está escrito no coração não necessita de agendas porque a gente não esquece. O que a memória ama fica eterno”.

Christina Rocha

{jssocials}

0
0
0
s2sdefault

Coragem

lampionblume 2183118 1920

De todas “as coragens” que necessitamos, a que mais admiro é a “coragem de se enfrentar”. Só quem consegue “se olhar no espelho” com autenticidade, percebendo e assumindo as próprias limitações, e agindo para construir superações, consegue gestar ousadamente a construção de um novo destino para a sua existência. Tenho comigo a inspiração dessa frase: “Sou frágil com a jangada, mas percorro os mares com bravura”.

Christina Rocha

{jssocials}

0
0
0
s2sdefault

Imediatismo

nature 254951 1920

 

“Todas as pessoas tomam os limites de seu próprio campo de visão, pelos limites do mundo.”
Arthur Schopenhauer

 

Sempre afirmo que as primeiras impressões só são as que ficam para os desavisados que, desatentos sobre as armadilhas de seu próprio olhar, não se dão conta que até as imagens construímos melhor com o tempo e uma observação atenta. Vivemos uma fase repleta de imediatismo. Enganamo-nos demasiadamente com os contornos ilusórios de uma realidade mediada, construída por lentes comprometidas com múltiplos interesses. Nossas percepções são contaminadas por virtualidades.

0
0
0
s2sdefault

Óbvio

glass ball 1746506 1920

 

É óbvio! Qual óbvio? A minha visão ou a sua? Minha percepção ou a sua? Minha compreensão ou a sua? Minha forma de significação ou a sua? Como construímos nossas óbvias  interpretações? Afirmo: o óbvio não existe! Sendo assim, encontro é disponibilidade de  compreensão,  é exercício de sabedoria,  é respeito,  é troca,  é admiração pela tão clara percepção que o outro expressa, mas me foge.  Então, esse outro, tão diverso e estranho é convite.

Christina Rocha

{jssocials}

0
0
0
s2sdefault

Proximidade

pair 167267 1920

 

Existe um desejo que nos move a aproximação... À vontade de estar por perto de outra pessoa, talvez em silêncio, fazendo coisas usuais... lendo, vendo TV, escrevendo, ouvindo música, indo ao cinema, sentada num banco, numa praça, caminhando, tomando chimarrão ou simplesmente à toa... preguiçosamente deitada no sofá.

A presença de um Outro é um convite. Mesmo um breve gesto, olhar ou toque, evidencia que existe algo além do que eu mesma sou... Na verdade, me dou conta do que sou, a partir de um Outro que é diferente... que existe de forma diversa.

0
0
0
s2sdefault

O Que Você Faz Para Ser Feliz?

garden 2183071 1920

Conversava com minha filha ontem sobre a pertinência dessa frase, cantada numa música de propaganda na televisão. A pergunta que desencadeou a discussão foi: “é mesmo preciso fazer alguma coisa?” numa perspectiva crítica sobre imposições culturais sobre a felicidade.

0
0
0
s2sdefault

Aproximações e Distanciamentos

away 3024773 1920

Todos somos marcados por muitas aproximações e distanciamentos. Nosso coração  (afeições/afetos) está repleto de lembranças de chegadas e despedidas. As aproximações e distanciamentos acontecem rasgando nossa alma, em dor, para gestar um novo tempo. Nunca somos os mesmos...,  mas,  principalmente,  não o somos depois de vivermos momentos assim. As rupturas são quanto mais bruscas mais marcantes, profundas e renovadoras.

0
0
0
s2sdefault